O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 3:06 am

É um caso único na história da medicina. Um paciente sofreu dois derrames consecutivos, que devastaram o córtex estriado, área do cérebro responsável pelo processamento da visão. O indivíduo ficou, para todos os efeitos, cego. Mas, embora viva com a convicção de que não enxerga nada, ao ser submetido a uma caminhada por um corredor cheio de obstáculos, ele desviou de todos com sucesso. O feito emocionou os cientistas, que explodiram em palmas quando ele chegou do outro lado. Mas o que restou desse resultado foi uma tonelada de dúvidas.
Na prática, a única coisa que o estudo, divulgado na última edição do periódico científico "Current Biology", concluiu é que não se pode mais dizer que não ver e pensar que não vê são a mesma coisa. O achado sugere que informações visuais podem ser processadas sem passar pela mente consciente -- e que os mecanismos cerebrais ligados a esse fenômeno muito provavelmente nada têm a ver com o córtex estriado.
A equipe internacional de Beatrice de Gelder, do Centro Athinoula A. Martinos para Imageamento Biomédico, ligado à Universidade Harvard, nos EUA, tomou todos os cuidados para se certificar de que o paciente, um senhor identificado apenas como TN, de fato não registrava conscientemente nenhuma informação visual.
TN foi "descoberto" em Genebra, logo após sofre seu segundo derrame. O primeiro já havia danificado a região do córtex estriado em um dos lados do cérebro. O seguinte detonou a mesma região, só que no outro hemisfério. O dano foi radical. Além de declarar não enxergar nada, o efeito foi confirmado com técnicas de imageamente cerebral, que não detectaram atividade no córtex estriado quando TN foi exposto a estímulos na visão.
Na prática, o paciente tinha os olhos e nervos ópticos em perfeito estado, mas a parte do cérebro responsável por interpretar esse sinais estava pifada. Uma "cegueira cerebral", por assim dizer.
Após o segundo derrame, a vida de TN mudou completamente. Ele passou a viver como um cego, usando uma bengala para identificar obstáculos e exigindo um guia para saber onde ir. Mas quando os cientistas encheram um corredor de potenciais "tropeçadores", como caixas, cadeiras e outros objetos, TN conseguiu caminhar perfeitamente, sem ajuda alguma, e evitar colisões.
Como? Para os cientistas, está claro que há mais regiões no cérebro trabalhando com as informações visuais do que o córtex estriado. Mas é tudo que eles sabem.
Apenas um outro caso parecido foi reportado, e com uma macaca. Mas mesmo ela não teve dano completo à região do cérebro responsável pela visão. Ainda assim, ela demonstrou habilidades semelhantes, mesmo tendo ficado cega.
"Dada a consonância com os resultados das pesquisas com animais e a extrema raridade de casos com cegueira cortical completa em humanos, essa observação impressionante servirá como ponto de partida para estudos futuros, quando e se outros pacientes similares forem descobertos", afirmam os cientistas, em seu artigo na "Current Biology".
http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL932026-5603,00-PACIENTE+COM+DANO+CEREBRAL+PROVA+QUE+ENXERGA+MESMO+SE+ACHANDO+CEGO.html
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 3:10 am

EM JUNHO DE 1879, o filósofo e cientista americano Charles Sanders Peirce viajava num navio a vapor de Boston a Nova York quando seu relógio de ouro foi roubado da cabine. Peirce notificou o furto e insistiu para que todos os integrantes da tripulação se apresentassem no convés. Falou com eles, mas sem resultado. Em seguida, depois de uma pequena caminhada, fez algo estranho. Resolveu adivinhar quem era o culpado, mesmo sem ter nada em que se basear, como um jogador de pôquer apostando tudo num par de dois. Assim que formulou seu palpite, Peirce percebeu que acreditava ter acertado quem era o culpado. “Dei uma pequena caminhada em círculos que não demorou nem um minuto”, escreveria depois, “e, assim que me virei para olhar para eles, qualquer sombra de dúvida já havia se desvanecido.”
Peirce abordou o suspeito com firmeza, mas o homem encarou o blefe e negou a acusação. Sem provas ou uma razão lógica em apoio à sua afirmação, nada havia a fazer – até o navio atracar. Quando aportou, Peirce imediatamente pegou um táxi, foi até o escritório da agência local da Pinkerton e contratou um detetive para investigar o caso. O detetive encontrou o relógio numa casa de penhores, no dia seguinte. Peirce pediu que o proprietário da loja descrevesse o homem que tinha empenhado o relógio.
Segundo Peirce, o homem do prego descreveu o suspeito “tão exatamente que não era possível haver dúvida de que se tratava do homem de quem eu desconfiara”. Peirce conjecturou sobre a razão de ter adivinhado a identidade do gatuno e chegou à conclusão de que alguma espécie de percepção instintiva o guiara, algo que operava num nível abaixo de seu consciente.
Se essa história terminasse em mera especulação, um cientista consideraria a explicação de Peirce tão convincente quanto dizer “Um passarinho me contou”. Porém, cinco anos depois, Peirce encontrou uma forma de traduzir suas ideias sobre a percepção inconsciente num experimento de laboratório, adaptando um procedimento realizado pela primeira vez pelo fisiologista E.H. Weber em 1834. Weber posicionou pequenos pesos de massas diferentes, um de cada vez, num ponto da pele de um voluntário para determinar a diferença de peso mínima detectada pelo sujeito. No experimento realizado por Peirce e seu melhor aluno, Joseph Jastrow, as pessoas que se submeteram ao estudo recebiam pesos cuja diferença estava logo abaixo do limite mínimo detectável (na verdade, os participantes foram os próprios Peirce e Jastrow, um experimentando o outro). Em seguida, embora não conseguissem discriminar os pesos, pediam que o outro identificasse de qualquer forma o volume mais pesado e indicasse, numa escala de 0 a 3, o grau de confiança que tinham em cada palpite.
Naturalmente, em quase todas as tentativas, os homens escolheram zero. Apesar da falta de confiança, na verdade eles selecionaram o objeto correto em mais de 60% das tentativas, bem mais do que se poderia esperar numa tentativa ao acaso. Quando repetiram o experimento em outros contextos, como na avaliação de superfícies que diferiam levemente no brilho, Peirce e Jastrow obtiveram resultado similar – conseguiam adivinhar a resposta mesmo sem ter acesso consciente à informação que lhes permitiria chegar àquela conclusão. Essa foi a primeira demonstração científica de que a parte inconsciente da mente dispõe de conhecimentos que escapam da parte consciente.
Depois Peirce compararia a capacidade de captar pistas inconscientes com um considerável grau de precisão com “os poderes canoros e aeronáuticos de um pássaro; … elas são, para nós, como para eles, o mais sutil dos nossos poderes meramente instintivos”. Em outras palavras, o trabalho feito pelo inconsciente é uma parcela crucial do nosso mecanismo evolutivo de sobrevivência. Há mais de um século, psicólogos clínicos e pesquisadores já conhecem o fato de que dispomos de uma vida inconsciente rica e ativa, que funciona em paralelo a nossos pensamentos e sentimentos conscientes, e exerce poderoso efeito sobre eles, de uma forma que apenas agora começamos a medir com algum grau de precisão.
http://docs14.minhateca.com.br/800557677,BR,0,0,Subliminar-txt.txt
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 3:32 am

Nos extras do DVD do filme Limite Vertical (edição especial) tem um monte de depoimentos interessantes de alpinistas que escalaram o K2.
Um deles narra como teve alucinações com ''palmeiras no cume'' quando pensou, caso conseguisse chegar até lá, em uma viagem para o Taiti como recompensa.
Outro relata que, na ''zona da morte'', sentiu-se como se estivesse fora do corpo e que via suas mãos projetadas na rocha, como numa tela de cinema. Tais experiências extracorpóreas tem tudo a ver com pessoas que relatam a sensação de uma certa ''presença'' sob condições extremas.
O curioso é que, sob condições extremas controladas, conseguiu-se induzir um fenômeno tido como paranormal em pessoas perfeitamente saudáveis.
Então não é difícil imaginar místicos cheios de expectativas se impondo limites e condições radicais (jejum, respirações positiva e negativa, transe, alteração da consciência, privação se sono, drogas, etc...) relatarem experiências com o ''sobrenatural''.
Tá tudo no cérebro! Logo a Ciência terá todas as respostas para os fenômenos dito místicos.

Sobre fantasmas, vale a pena contar o que se sucedeu com um amigo chileno dO ALQUIMISTA certa vez:
_Ele costumava narrar sua experiência com fantasmas no seu quarto. Um dia, pedi para ele mais detalhes, o que ME foi concedido. Sua estória tinha todas as características clássicas de uma Paralisia do Sono. Em seguida, procurei um bom site com a descrição completa dessa condição e passei o link para ele ler.
Ao término da leitura, ele, de repente, disse, atônito: ''Caraca! É isso mesmo que eu senti! Puxa, como você descobriu?''
Não foi difícil para ele ficar convencido de que tinha sofrido os sintomas da Paralisia do Sono, o que explicaria facilmente sua experiência com espectros amorfos e cinzentos.
Quer dizer então que o chileno se sentiu melhor após isso?
Nananinanão!!! Na verdade, ele falou que EU havia destruído sua experiência e então confessou que era muito mais feliz quando acreditava que eram fantasmas que ele via. Por fim, concluiu que iria continuar a contar para todos sua estória ''sobrenatural'' porque soava bem mais interessante (do que a realidade!) e isso fazia dele um cara muito especial, aos olhos dos outros.


Última edição por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 6:25 am, editado 1 vez(es)
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 3:51 am

Dois links interessantes para estudo e reflexão:

Paranormalidade ou Manifestações Psicóticas? Relato de Caso:
http://www.cerebromente.org.br/n06/doencas/psicose/psych.htm

O Sentido do Mundo:
http://www2.uol.com.br/vivermente/reportagens/o_sentido_do_mundo.html
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Sab Mar 04, 2017 7:03 am

Pensem em quanto os humanos atribuem sentido à coisas sem sentido algum. Rostos em Marte, virgens em vidraças, Je$u$ em poças d'água, faces demoníacas em fumaças de explosões, intervenção divina em terremotos e tsunamis, mensagens satânicas em discos da Xuxa girados ao contrário... a lista não para!!! O cérebro humano é cheio de falhas e bugs, falhas essas preenchidas por ideias falsas para dar sentido onde há caos, senão a vida (que já é chata!) tornar-se-ia mais insuportável ainda.

Um curioso exemplo que ilustra isso muito bem está numa suposta particularidade dos discos de vinil que, dizem, foi muita usada e abusada por vários artistas e empresas mal-intencionados.
Trata-se de um processo conhecido como Backward Masking, ou, simplesmente, Backmasking, cujo significado é Mascaramento Reverso, e quase todo mundo que viveu na época do vinil já brincou disso, ou pelo menos ouviu falar a respeito. São aquelas supostas mensagens secretas imperceptíveis ao nosso consciente quando o disco roda normalmente, mas ''perfeitamente inteligíveis'' quando ele gira ao contrário. Tal técnica é popularmente conhecida como Mensagem Subliminar, e o intuito é propagar ideologias e propagandas ocultas dentro de uma outra mensagem. Tal ideia teria surgido com o famoso experimento de Jim Vicary na produção do filme Picnic, nos idos de 1950, no qual, durante a exibição do filme nos cinemas, um slide hiper-rápido para a percepção humana captar continha a mensagem oculta DRINK COKE, o que, segundo alegam alguns, fez com que as vendas de Coca-Cola aumentassem em mais de 50%. O slide podia ser rápido demais para os olhos, mas não era nem um pouco para o subconsciente humano digerir, pelo menos na ''teoria''.
Um meio em que dizem que foi muito utilizado o Backward Masking foi dentro da indústria fonográfica da música Rock, pois várias mensagens foram supostamente encontradas em alguns trechos de músicas, a maioria de cunho satânico, quando se giravam os discos ao contrário. Um exemplo clássico pode ser encontrado na faixa Revolution 9, dos Beatles. Dizem que, no trecho em que é citado “Number 9”, aparece a mensagem oculta ''Turn me on, dead man'', que quer dizer ''Excite-me, homem morto...'', assim que o disco é girado ao contrário. Outro famoso exemplo se encontra na canção Stairway to Heaven, da banda britânica Led Zeppelin. Numa certa parte, ao contrário, surge a mensagem oculta ''SIX SIX SIX'', o famoso 666.
Mas a explicação para tudo isso é bastante simples, chama-se PAREIDOLIA! Será?!!
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Poder da Mente Inconsciente e seus mistérios

Mensagem por Alquimista em Seg Mar 06, 2017 2:18 am

O Efeito Ideomotor

O Efeito Ideomotor são os movimentos motores inconscientes.
Foi comprovado experimentalmente por Michael Faraday, que provou conclusivamente esses movimentos musculares inconscientes nas sessões espíritas de salão que ludibriaram o Sr. Rivail, ou seja, o ''fenômeno'' das mesas girantes e falantes que culminaram no espiritismo de Allan Kardec.

Para quem não sabe, o Efeito Ideomotor é o que faz o copo se mexer nas famosas brincadeiras do copo que ainda enganam um monte de incautos com inclinações espiritualistas. E o mesmo se dá com o Pêndulo de Chevreul, Radiestesia, Rabdomancia, bem como nos tabuleiros Ouija, ou seja, é tudo truque! Inclusive, naquela febre do "Charlie Charlie are you here" era este o princípio envolvido.

O livro A Arte de ler Mentes, de Henrik Fexeus, dá dicas muito boas a respeito de como utilizar o Efeito Ideomotor em números de mágica e mentalismo.
avatar
Alquimista
Admin

Mensagens : 398
Data de inscrição : 14/02/2017

Ver perfil do usuário http://mestredoconhecimento.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum